HOSPITAL MEMORIAL SÃO FRANCISCO INAUGURA EMERGÊNCIA 24H

O Hospital Memorial São Francisco abre as portas da sua Unidade de Emergência. O setor funcionará 24 horas por dia para atender, a princípio, clientes Unimed e consultas particulares em ortopedia, traumatologia e clínica geral, com suporte de sobreaviso em outras especialidades. Em sua nova fase, o Hospital Memorial São Francisco está totalmente repaginado, modernizado,com hotelaria conceito, novos mobiliários em todas as unidades de atendimento, equipamentos de ponta, além de equipe treinada e prontamente voltada para o cuidado diferenciado. Tudo isso em uma área ampliada para 4 mil m², com novos serviços, inclusive laboratório de análises clínicas, exames de imagem, endoscopia digestiva e oxigenioterapia hiperbárica.

Com a estratégia de inovar, vários processos estão redesenhados, novos projetos desenvolvidos e mais parcerias construídas ao longo desse período. O hospital também insere em seu quadro de atendimento, mais profissionais qualificados, Continue lendo “HOSPITAL MEMORIAL SÃO FRANCISCO INAUGURA EMERGÊNCIA 24H”

UNIDADE MÓVEL COM EXAMES DE MAMOGRAFIA ESTÁ NA FRENTE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA ATÉ SEXTA-FEIRA

A unidade móvel Savana Galvão do Grupo Reviver, está estacionada na Praça Sete de Setembro, em frente à Assembleia Legislativa.

A unidade, que oferece exames de mamografia, está no local até a sexta-feira (18).

Veja no banner abaixo quais os procedimentos para dispor dos serviços.

ThaisaGalvão

ANVISA DEVE ANALISAR LIBERAÇÃO DE MACONHA MEDICINAL NESTA TERÇA

Maconha

A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) agendou para esta terça-feira 15, a partir das 10h, reunião pública que deve tratar a respeito da liberação do cultivo de maconha para fins medicinais no país. Após adiamento – solicitado por diretores do órgão – que impediu a votação na última semana, o tema foi novamente pautado.

São esperados debates sobre duas propostas de RDCs (Resoluções da Diretoria Colegiada): uma que determina os critérios para o cultivo da planta para fins exclusivamente medicinais e a outra que regulamenta a produção de medicamentos à base de Cannabis, seus derivados e análogos sintéticos. De acordo com a legislação da Anvisa, as RDCs regulamentam os critérios técnicos para uso e produção de substâncias controladas no país. Continue lendo “ANVISA DEVE ANALISAR LIBERAÇÃO DE MACONHA MEDICINAL NESTA TERÇA”

1 EM CADA 4 ADOLESCENTES BRASILEIROS É DEPENDENTE DE INTERNET

Estudo foi feito com jovens de 15 a 19 anos de escolas públicas e privadas de Vitória (ES)Quando decidiu restringir o acesso do filho ao computador, Mariana (nome fictício) observou um comportamento diferente daquele que o adolescente costumava demonstrar. O garoto, então com 12 anos, se revoltava contra os pais quando era obrigado a ficar algumas horas sem usar a internet. Xingava, gritava e arremessava objetos. Parecia outra pessoa, segundo relato da própria mãe. “Ele tinha um ódio no olhar, ficava totalmente transtornado. Não era mais aquele menino doce e carinhoso”, conta ela.

Mariana decidiu procurar ajuda. Passou a participar de um grupo de apoio a pais e parentes de jovens que fazem uso abusivo de tecnologias. Ao frequentar as sessões, coordenadas por profissionais do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (IPq-HC/USP), percebeu que o que o filho tinha era um vício e conheceu outras famílias com o mesmo drama.

O fenômeno, já notado por alguns pais, está sendo quantificado por uma pesquisa pioneira no Brasil. Levantamento da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) com mais de 2 mil adolescentes mostra que 25,3% são dependentes moderados ou graves de internet.

“Como a amostra pesquisada é grande, é um estudo representativo da realidade dos centros urbanizados brasileiros”, ressalta Hermano Tavares, coordenador do Ambulatório Integrado dos Transtornos do Impulso do IPq, que conta com um grupo de tratamento para dependência tecnológica. Continue lendo “1 EM CADA 4 ADOLESCENTES BRASILEIROS É DEPENDENTE DE INTERNET”

CIENTISTAS BRASILEIROS DESCOBREM ESTÁGIOS INICIAIS DO MAL DE PARKINSON

O Parkinson é a segunda doença neurodegenerativa mais comumPesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da University of Virginia School of Medicine, dos EUA, descobriram os estágios iniciais da doença de Parkinson. O estudo com a conclusão foi publicado nesta sexta-feira (11) no Jornal Communications Biology.

A pesquisa demorou três anos para ser concluída. A próxima etapa será o rastreamento de drogas que bloqueiem os oligômeros (estrutura proteica em forma de cadeia com baixo peso molecular), antes de partir para a segunda fase de testes em animais e seguir para os testes finais em humanos.

O Mal de Parkinson é a segunda mais comum das doenças neurodegenerativas e pode levar à demência. A primeira é o Alzheimer.

Destruição progressiva

Doenças neurodegenerativas são doenças em que ocorre a destruição progressiva e irreversível de neurônios, as células responsáveis pelas funções do sistema nervoso. Quando isso acontece, dependendo da doença, gradativamente o paciente perde suas funções motoras, fisiológicas e/ou sua capacidade cognitiva.

“A grande questão é saber qual é o alvo para poder desenvolver uma terapia, um medicamento. O nosso trabalho mostra, exatamente, a formação dos chamados oligômeros competentes”, disse um dos autores do trabalho o pesquisador pela UFRJ, Jerson Lima Silva. “Tem evidências que [os oligômeros] seriam o nosso melhor alvo”. De acordo com o pesquisador, o Mal de Parkinson afeta mais de 5 milhões de pessoas no mundo.

Essas estruturas proteicas, quando se rompem, fazem a célula morrer e, na maioria das vezes, quando o paciente é diagnosticado com sintomas clínicos, na realidade o Mal de Parkinson começou muito antes. “O tratamento é paliativo. Não há tratamento que cure ou atenue a doença”, disse Silva, que é médico e professor do Instituto de Bioquímica Médica da UFRJ. Continue lendo “CIENTISTAS BRASILEIROS DESCOBREM ESTÁGIOS INICIAIS DO MAL DE PARKINSON”

55% DOS BRASILEIROS ESTÃO ACIMA DO PESO

ObesidadeMais da metade da população brasileira (55%) está acima do peso, indica a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico 2018 (Vigitel). O levantamento aponta também que houve aumento de 67,8% nas taxas de obesidade no Brasil entre 2006 e 2018, saindo de 11,8% para 19,8%. É o maior índice de obesidade nos últimos 13 anos, segundo o Ministério da Saúde. Desde 2015 a taxa estava estabilizada em 18,9%.

O aumento da obesidade foi maior entre a população adulta de 25 a 44 anos, com taxas acima de 80% e entre mulheres: 20,7% contra 18,7% dos homens, em 2018. Em relação ao excesso de peso, os mais afetados são indivíduos jovens, de 18 a 24 anos, e mulheres. Continue lendo “55% DOS BRASILEIROS ESTÃO ACIMA DO PESO”