TATUAGEM PARA DIABÉTICOS MUDA DE COR, DE ACORDO COM OS NÍVEIS DE AÇÚCAR NO SANGUE

Tatuagem biocoloridaPesquisadores desenvolveram uma nova tinta de tatuagem que muda de cor que responde a mudanças no corpo, como açúcar no sangue e níveis de sódio.

Usando um líquido com biossensores em vez da tinta tradicional, os cientistas querem transformar a superfície da pele humana em uma “tela interativa” – uma idéia que torna essa prova de conceito emocionante de se assistir. Tecnologias como essa podem se tornar uma nova maneira revolucionária de monitorar a saúde.

O projeto, chamado DermalAbyss , é uma colaboração entre pesquisadores do MIT e da Harvard Medical School, combinando esforços da Fluid Interfaces e da biotecnologia.

Até agora, a equipe desenvolveu três tintas diferentes que mudam de cor em resposta a mudanças no fluido intersticial – o material que desliza entre nossas células, representando cerca de 16% do peso do corpo humano.

Das três tintas para sensores, a mais intrigante é a que pode medir os níveis de glicose. O sensor muda de cor de azul para marrom conforme o açúcar no sangue aumenta.

Ter uma tatuagem com sensor de glicose pode facilitar a vida das pessoas com diabetes , que precisam fazer exames de sangue durante o dia para monitorar sua glicose.

A equipe também criou uma tinta que muda de rosa para roxa em relação aos níveis de pH, e um terceiro sensor que pode detectar sódio, brilhando uma tonalidade verde vibrante sob a luz UV na presença de níveis crescentes de sal.

“O Dermal Abyss cria um acesso direto aos compartimentos do corpo e reflete os processos metabólicos internos em forma de tatuagem” , escreve a equipe no site do projeto .

“Pode ser usado para aplicações em monitoramento contínuo, como diagnóstico médico, auto quantificado e codificação de dados no corpo”.

Para alguém que tem uma condição de saúde que requer monitoramento dietético cuidadoso, ou mesmo se você é apenas um nerd de dados e gosta da ideia de rastrear alterações corporais com uma tatuagem de aparência legal, é um conceito atraente.

“As pessoas com diabetes nos enviam um e-mail e dizem: ‘Quero experimentar’”, disse à CBS News um membro da equipe, Xin Liu, do MIT .

Mas se você está pronto para se inscrever em uma dessas tatuagens de biossensibilidade, infelizmente temos que decepcioná-lo por enquanto. Até agora, o DermalAbyss está apenas na fase de prova de conceito e não há indicação de quando ele pode se tornar um produto real.

Os pesquisadores testaram as tintas em manchas de pele de porco, usando injeções para alterar os níveis dos fluidos a serem detectados.

Antes que essa incrível tecnologia possa ser aprovada em seres humanos, ela precisará passar por várias etapas de testes rigorosos, provavelmente primeiro em animais e depois em pessoas. O que deve ser observado são reações adversas à tinta e possíveis alergias.

Há também a questão de como garantir que os indicadores de tatuagem sejam os mais precisos possíveis. Em uma situação médica, você deseja que essa ‘interface’ de mudança de cor seja tão confiável quanto um exame de sangue, e definitivamente ainda não estamos lá.

“Vai levar muito tempo para que qualquer coisa prática seja lançada no mercado, mas [a tecnologia] evoca imaginação e abre possibilidades”, disse Liu à CBS News .

DIA DA SAÚDE MENTAL: BRASIL LIDERA RANKINGS DE DEPRESSÃO E ANSIEDADE

Resultado de imagem para dia da saude mentalO Brasil tem números alarmantes de indivíduos com depressão e transtornos de ansiedade, o que, nesta quinta-feira (10), Dia Mundial da Saúde Mental, acende um alerta, principalmente se for considerado que os casos de suicídio têm subido no país.

Dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) mostram que 5,8% dos brasileiros (cerca de 12 milhões de pessoas) sofrem de depressão. É a maior taxa da América Latina e a segunda maior das Américas, atrás apenas dos Estados Unidos.

Estima-se que entre 20% e 25% da população teve, tem ou terá depressão, sendo essa a doença psiquiátrica com maior prevalência no Brasil.

Em seguida, aparece a ansiedade, que afeta 9,3% dos brasileiros (cerca de 19,4 milhões), e faz com que o Brasil ocupe o primeiro lugar da lista de países mais ansiosos do mundo.

Os transtornos ansiosos incluem fobia, transtorno obsessivo-compulsivo, estresse pós-traumático e ataque de pânico.

O suicídio é a terceira principal causa externa de mortes no Brasil (atrás de acidentes e agressões), com 12,5 mil casos em 2017, segundo o Ministério da Saúde. Em relação ao ano anterior, o aumento foi de 16,8%.

Menosprezar doenças psiquiátricas e, consequentemente, o tratamento contribui para o aumento de casos de suicídio, observa o médico psiquiatra Antônio Geraldo da Silva, presidente da Apal (Associação Psiquiátrica da América Latina) e diretor da Associação Brasileira de Psiquiatria.

“Depressão é uma doença como qualquer outra, como diabetes, hipertensão, pneumonia… portanto, pode acometer qualquer pessoa em qualquer idade.”

Silva afirma que, apesar dos avanços da medicina e das terapias para tratar doenças psiquiátricas, “ainda existe muito preconceito”.

“Ninguém fala para uma pessoa com câncer deixar a doença de lado, mas há quem fale isso para quem sofre de depressão, o que é um erro”, completa.

O psiquiatra explica existem componentes genéticos ligados ao desenvolvimento de doenças psiquiátricas, mas que também os fatores estressantes estão mais presentes na sociedade de hoje.

“Está se diagnosticando mais, e nós temos mais fatores que estão desencadeando mais quadros psiquiátricos naqueles que têm tendência genética.”

Por outro lado, acrescenta, os tratamentos evoluíram consideravelmente nas últimas décadas.

“Hoje, a gente tem não só medicamentos, mas psicoterapias que têm uma melhor resposta do que há 50 anos atrás. […] Quando faz uma intervenção precoce, há chance de tratar e nunca mais ter [a doença] na vida”, conclui Silva.

R7

CÂNCER DE MAMA EM HOMENS JÁ ATINGE 1% DOS BRASILEIROS; SAIBA QUAIS SÃO OS SINTOMA

Em 2017 o câncer de mama matou 203 homens no Brasil e a doença continua fazendo vítimas de todas as idades por isso é importante se cuidar e ficar atento a qualquer sinal que possa revelar a doença.

Para cada 100 mulheres com câncer de mama, pelo menos um homem é atingido pela grave doença. No Brasil 1% dos casos de câncer de mama são em homens e estes dados são preocupantes porque a maioria não procura se cuidar corretamente.

Assim como as mulheres, os homens precisam ficar atentos a qualquer alteração nas mamas, por exemplo, retração da pele, presença de nódulos ou caroços e até mesmo secreção na aréola. Ínguas nas axilas e vermelhidão ou coceira no peito também podem ser sintomas da doença.

O INCA alerta que a obesidade, doença hepática e alcoolismo podem aumentar a chance de desenvolver o câncer. O tratamento para o homem é o mesmo da mulher, é preciso fazer radioterapia, quimioterapia e hormonioterpia, mas o médico irá averiguar qual é a melhor solução para cada paciente.

No caso do homem o câncer de mama é mais perigoso porque há pouco tecido mamário e com isso pode haver uma rápida infiltração na pede e também no músculo posterior do peito, provocando uma metástase e reduzindo a chance de cura.

Mas as mutações genéticas hereditárias sãos um dos principais fatores que levam à doença, por isso é importante conversar com o médico e se for recomendado, fazer os testes genéticos para mapear possíveis mutações.

Quanto antes o câncer de mama é descoberto, seja em homem ou mulher, maior a chance é de cura, por isso o médico deve ser procurado ao primeiro sinal de risco.

Diariovip